O Segundo...Renascimento
O anime traduzido como "O segundo Renascer" seria melhor compreendido pela tradução "O Segundo Renascimento", movimento marcado pelo racionalismo.

O Renascimento foi uma nova visão de mundo estimulada pela burguesia em ascensão. Suas principais características eram o racionalismo (em oposição à fé), o antropocentrismo (em oposição ao teocentrismo) e o individualismo (em oposição ao coletivismo cristão).

O Renascimento nasce na Itália, em função da riqueza das cidades italianas, da presença de sábios bizantinos, da herança clássica da Antiga Roma e da difusão do mecenato. A invenção da Imprensa contribuiu muito para a divulgação de novas idéias.
Animatrix- O último voo de Osíris - Quem foi Osíris???


Osíris foi pai de Hórus e Anúbis, segundo a mitologia egípcia. Ele era quem julgava os mortos, assim sendo em seu tribunal, o lendário Tribunal de Osíris. Como conta a lenda, Osíris foi despedaçado pelo seu irmão, Seth, o deus do mal. Seth espalhou os pedaços do irmão por todo o Egito, sendo que Ísis remonta Osíris a partir de seus pedaçoes, com exceção de seu pênis, que fecundou Ísis para o nascimento de Hórus.

No Tribunal de Osíris tinha toda uma corte que julgava o caminho dos mortos, incluindo Ammut, Maat e outros, que pesavam as almas e liam o Livro dos Mortos, o livro da morte.

Osíris, é sem dúvida o deus mais conhecido do Antigo Egipto, devido nomeadamente, ao grande número de templos que lhe foram dedicados nas costas do Mediterrâneo. porém, os seus começos foram os de qualquer divindade local. Para os seus primeiros adoradores, Osíris era apenas a encarnação das forças da terra e das plantas. À medida que o seu culto se foi difundindo por todo o espaço do Egipto, Osíris enriqueceu-se com os atributos das divindades que suplantava, até que, por fim substituiu a religião solar. Por outro lado a mitologia engendrou uma lenda em torno de Osíris, que foi recolhida fielmente por alguns escritores gregos, como Plutarco. A dupla imagem que de ambas as fontes chegou até nós deste deus, cuja cabeça aparece coberta com a mitra branca, é a de um ser bondoso que sofre uma morte cruel e que por ela assegura a vida e a felicidade eterna a todos os seus protegidos, bem como a de uma divindade que encarna a terra egipcia e a sua vegetação, destruída pelo sol e a seca, mas sempre ressurgida pelas águas do Nilo.
Nomes...
:::NEO
\\novo
\\anagrama de ONE
\\anagrama de EON (eterno)

:::THOMAS ANDERSON
\\THOMAS: apóstolo TOMÉ, o cético
\\ANDERSON: filho do homem

:::TRINITY
\\\trindade - pai/filho/espírito santo - id/ego/superego

:::CHOI&DJOUR - casal à porta de Neo
\\\escolha do dia

:::MOUSE
\\\periférico do computador

:::SWITCH
\\\interruptor-chave controla positivo e negativo do computador - 0 e 1

:::APOC
\\\apocalipse
\\\criador do vírus de computadorFourhorsemen

:::TANK&DOZER - irmãos humanos
\\\tratores de arar a terra

:::CYPHER, REAGAN
\\\lúcifer:demônio
\\\cifra 0, sem valor
\\\presidente Reagan

:::MORPHEUS
\\\Deus do sonho

Neuromancer, mais uma obra apontada em Matrix

http://www.enigmasonline.com/enigmidia/Neuromancer.htm

Classificação:



Segue dica sobre outro livro citado em nossa oficina, o Neuromancer de William Gibson

Caos Por Hakim Bey





O Caos jamais morreu. Bloco primordial não lapidado, único monstro venerável, inerte & espontâneo, mais ultravioleta do que qualquer mitologia (como as sombras antes da Babilônia), a original e indiferenciada unicidade do ser ainda irradia serena como as negras flâmulas dos Assassinos, ao acaso e perpetuamente intoxicadas.

O Caos vem antes de todos os princípios de ordem & entropia, não é um deus nem uma larva, seus desejos idiotas abrangem & definem toda coreografia possível, todos os "aethers" & "phlogistons" sem sentido: suas máscaras são cristalizações de sua própria ausência de rosto, como nuvens.Tudo na natureza é perfeitamente real, inclusive a consciência, não há nada com que se preocupar. Não somente as correntes da Lei foram quebradas, elas nunca existiram; demônios nunca guardaram as estrelas, o Império nunca começou, Eros nunca deixou crescer a barba.

Não, escute, o que aconteceu foi isto: eles mentiram para você, venderam-lhe idéias do bem & do mal, deram-lhe desconfiança do seu corpo & vergonha de sua profecia do caos, inventaram palavras de nojo pelo seu amor molecular, hipnotizaram-lhe com desatenção, entediaram-lhe com a civilização e todas as suas emoções.

Não há devir, revolução, luta, caminho; você já é o monarca de sua própria pele - sua liberdade inviolável espera ser completada apenas pelo amor de outros monarcas: uma política de sonho, urgente como o azul do céu.

Derramar todos os direitos ilusórios e hesitações da história demanda a economia de alguma Idade da Pedra lendária - xamãs e não padres, bardos e não senhores, caçadores e não a polícia, colhedores de uma preguiça paleolítica, gentis como o sangue, desnudando-se por um sinal ou pintados como pássaros, equilibrados na onda de uma presença explícita, o sempre-agora sem relógio.

Agentes do caos lançam olhares ardentes para tudo ou qualquer coisa capaz de testemunhar sua condição, sua febre de "lux et voluptas". Estou acordado somente para o que amo & desejo até o ponto do terror - tudo mais é apenas um mobiliário mortuário, anestesia cotidiana, merda-para-cérebros, tédio sub-réptil de regimes totalitários, censura banal & dor inútil.

Avatares do caos agem como espiões, sabotadores, criminosos do amour fou, nem desinteressados nem egoístas, acessíveis como crianças, polidos como bárbaros, desgastados com obsessões, desempregados, sensualmente loucos, "lobanjos" (lobos-anjos), espelhos para contemplação, olhos como flores, piratas de todos os signos & sentidos.

Aqui estamos engatinhando nas rachaduras entre paredes da igreja estado escola & fábrica, todos os monolitos paranóicos. Decepados da tribo pela nostalgia animal, vamos em busca de palavras perdidas, de bombas imaginárias.

A última "façanha" possível é aquela que define a própria percepção, um invisível fio dourado que nos conecta: dança ilegal nos corredores dos tribunais. Se eu fosse beijar você aqui, chamariam isso de um ato de terrorismo - então vamos levar nossas pistolas para a cama & acordar a cidade à meia-noite como bandidos bêbados celebrando com uma saraivada, a mensagem do gosto do caos.

Autor de TAZ- Zona Autônoma Temporária - editora Conrad / Caos , terrorismo Poético e outros crimes exemplares

TAZ

http://www.conradeditora.com.br/index.php?option=com_content&task=view&id=76&Itemid=56

Classificação:



Aí está a informação sobre o livro TAZ, de Hakim Bey, para os participantes da oficina que pediram e outros interessados

"num manuscrito..."

Autor: desconhecido

Quando: séc IV

Os humanos eram ignorantes do que não podiam ver. havia muitas ilusões, como se eles estivessem mergulhados no sono e se encontrassem em pesadelos. Eles estavam fugindo, perseguindo outros, envolvidos em ataques, caindo de lugares altos ou voando mesmo sem ter asas. Quando acordam, eles não vêem nada. Ao deixar a ignorância de lado, não estimam suas obras como coisas sólidas, mas as deixam para trás como um sonho -contribuição de nosso futuro diretor de cinema Cauli-

SESC Santos & a MATRIX
O SESC Santos, neste mês de novembro, abriu espaço para uma análise interativa do filme Matrix.

Os encontros começaram com algumas conversas sobre Lógica de Programação, Realidade Virtual e Inteligência Artificial - conceitos de grande importância na trama.

Durante a apresentação dos primeiros 30 minutos do filme, os participantes abordaram os seguintes temas:

:::Religião

:::Controle

:::Verdade-Ilusão

:::Liberdade de escolha - Livre Arbítrio

:::Vida-Morte

:::Psicologia - triângulo:indivíduo:id, ego,superego - Self

:::Bem-Mal

:::Ética Hacker
A Matrix te pegou
::: O filme foi lançado na Páscoa de 1999

::: 1999 foi o ano do coelho do horóscopo chinês

::: O nome MATRIX aponta diretamente para a obra inicial do cyberpunk Neuromancer, de William Gibson. A MATRIX é a rede de computadores onde boa parte da ação do livro se passa, além de diversas referências menores espalhadas pelo filme

::: Outra referência óbvia é a 'Alegoria da Caverna', de Platão em 'República'

::: Nomes de pessoas e objetos têm referências a sonhos e ilusões, como Morpheus (deus grego do sonho) e Nabucodonosor (rei bíblico atormentado por sonhos)

::: o quarto de Trinity (trindade) é 303, enquanto que o de Neo (One) é 101

::: O livro 'I have no Mouth and I Must Scream' de Harlan Elison, é literalmente homenageado na cena do interrogatório. ele conta a história de um mundo dominado por máquinas
Conhece-te a ti mesmo
ORACULO DE DELPHOS

Sol, Hélios ou Apolo, tinha em volta da cabeça raios de luz em vez de cabelos, e percorria o céu num carro de fogo puxado por cavalos velocíssimos chamados Aêton, Éoo, Flêgon e Piroís, associados com a luz e as chamas. Sua viagem eterna do oriente para o ocidente só foi interrompida uma vez, devido seu filho Faêton pedir-lhe para guiar os cavalos acabando por quase incendiar a terra, quando assustou-se ao aproximar-se dos animais do Zodíaco. Todas as noites, após se banhar no oceano e recuperar as forças de seus cavalos, retornava ao oriente dentro de seu carro que servia de nau. Devido sua fama de ver tudo que se passava, recebeu o título de deus da verdade. Muitos templos foram erguidos em seu nome, sendo mais famoso o "Oráculo de Delphos", onde jovens virgens chamadas Pitonisas, nome derivado de um dos nomes do Sol, Píton, atendiam a população. Um oráculo era como nos dias atuais, a consulta ao Tarô, ao I Ching, as Runas, ou a outro método de acesso ao inconsciente, a diferença é que os oráculos ficavam dentro dos templos religiosos. Este oráculo se tornou famoso devido ao filósofo grego Sócrates que caminhou até a cidade de Delphos para perguntar ao oráculo quem era o homem mais sábio do mundo, pois gostaria de conversar com ele. "És tu Sócrates", foi a resposta obtida. Sócrates saiu do templo achando que fora vítima de brincadeira, porém, por toda a sua vida, buscou de cidade em cidade encontrar um homem sábio, e deparava-se com pessoas comuns, consideradas sábias por moradores daquelas cidades. Próximo ao fim de sua vida, Sócrates começou a duvidar se o oráculo não lhe teria dito a verdade. Lembrou-se então da inscrição contida no portal do templo de Delphos: Conhece-te a ti mesmo... e conhecerás o universo e os Deuses.
As tecnologias Matrix
INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL

Existem dois pontos de partida para definir a I.A. - sonho e tecnologia

Terry Winograd

A Inteligência Artificial é por um lado uma ciência, que procura estudar e compreender o fenômeno da inteligência, e por outro um ramo da engenharia, na medida em que procura construir instrumentos para apoiar a inteligência humana.
A I.A. é inteligência que tenta simular o pensamento e os nossos fenômenos cognitivos.

No entanto, a I.A. continua a ser a procura do modo como os seres humanos pensam, com o objetivo de estruturar esse pensamento em processos computacionais, tentando assim construir um corpo de explicações algorítmicas dos processos mentais humanos. É isto o que distingue a I.A. dos outros campos de saber, ela coloca a ênfase na elaboração de teorias e modelos da Inteligência como programas de computador.

Os estudos em I.A. atualmente dividem-se em quatro ramos :
O estudo das redes neurais e à capacidade dos computadores aprenderem e reconhecerem padrões.
A biologia molecular, na tentativa de construir vida artificial.
A robótica, ligada à biologia e procurando construir máquinas que alojem vida artificial.
E, finalmente o ramo clássico da I.A. que se liga desde o início à Psicologia, desde os anos ’70 à epistemologia e desde os anos ’80 à sociologia, e que tenta representar na máquina os mecanismos de raciocínio e de procura.

Mas onde está a I.A.?
Certamente ‘dentro dos agentes que são capazes de representar as situações que enfrentam e de realizar acções possuindo processos para manipular essas representações’. Mas estará ela no algoritmo, ou pelo contrário na arquitetura de estados mentais?

A construção de máquinas inteligentes pressupõe a existência de estruturas simbólicas (representação), a capacidade de elas poderem raciocinar (procura) e a existência de conhecimentos (matéria prima). Assim o campo mais popular da I.A. é sem dúvida o da engenharia do conhecimento pois é aí que se concebem os sistemas periciais, que são capazes de representar conhecimentos e de raciocinar.



Realidade virtual

Realidade Virtual, ou ambiente virtual, é uma tecnologia de interface avançada entre um usuário e um sistema computacional. O objetivo dessa tecnologia é recriar ao máximo a sensação de realidade para um indivíduo, levando-o a adotar essa interação como uma de suas realidades temporais. Para isso, essa interação é realizada em tempo real, com o uso de técnicas e de equipamentos computacionais que ajudem na ampliação do sentimento de presença do usuário.

Característica

* Imersão: O Utilizador tem a sensação real de estar dentro do mundo virtual.

Dispositivos que provocam esta sensação: Capacetes digitais e Caverna digital.

É necessário salientar que o termo Realidade Virtual significava originalmente um sistema totalmente imersivo, actualmente a palavra tem sido utilizada para descrever sistemas que não utilizam componentes como luvas digitais, óculos estereoscópicos, etc, como exemplo temos os sistemas interativos baseados em textos como MOOs ou MUDs.

Realidade Virtual não-imersiva é realizada com o uso de um monitor comum no qual o utilizador manipula o ambiente virtual através de um dispositivo de entrada (por exemplo: teclado, mouse,etc.).

* Interação: O utilizador manipula objetos virtuais.

Dispositivos que provocam esta sensação: Luvas digitais.

* Envolvimento: Exploração de um ambiente virtual.
Dispositivos

As tecnologias computacionais mais utilizadas atualmente são imagens tridimensionais, áudio, vídeo, rede, sistemas multiusuário e cooperativos, e equipamentos tais como luva digital, óculos estereoscópicos, capacete de imersão, teclado, mouse, monitor e dispositivo de retorno háptico ­ como os controladores de jogo ou equipamentos com retorno de força, que auxiliam na imersão do usuário nos sistemas. A sutileza dessa definição está na não-restrição do termo à utilização de equipamentos e técnicas.

Alguns dispositivos a serem estudados por desenvolvedores de sistemas em RV:

* Percepção sensorial (5 sentidos do corpo também devem estar presentes no mundo virtual).
* Hardware (Equipamentos não muito convencionais como luvas e capacetes e super-máquinas para gerirem a aplicação).
* Software (Sistemas paralelos e distribuídos e detecção de colisão).
* Interface com o usuário (Simulações em tempo real).

Alice & Neo
Alguns trechos de "Alice no país das maravilhas", de Lewis Carroll presentes no filme Matrix


(...)subitamente um Coelho Branco com olhos cor-de-rosa passou correndo perto dela.

(...) Ardendo de curiosidade, ela correu pelo campo atrás dele

(...)A toca do coelho dava diretamente em um túnel, e então aprofundava-se repentinamente. Tão repentinamente que Alice não teve um momento sequer para pensar antes de já se encontrar caindo no que parecia ser bastante fundo.
Ou aquilo era muito fundo ou ela caía muito devagar, pois a menina tinha muito tempo para olhar ao seu redor e para desejar saber o que iria acontecer a seguir.

(...)Para baixo, para baixo, para baixo. Essa queda nunca chegará ao fim?
"Eu adoraria saber quantas milhas eu caí até agora", ela disse em voz alta."Eu devo estar chegando em algum lugar perto do centro da terra.

(...)Vejam só, tantas coisas estranhas tinham acontecido ultimamente que Alice começara a pensar que muito poucas coisas eram na verdade realmente impossíveis.

(...)Deixe-me ver: eu era a mesma quando acordei de manhã? Tenho a impressão de ter me sentido um pouco diferente. Mas se eu não sou a mesma, a próxima questão é "Quem sou eu?" Ah! esta é a grande confusão!"

(...)Eu vou simplesmente olhar para cima e dizer "Quem sou eu? Digam-me isso primeiro e depois, se eu gostar de ser a tal pessoa, eu subirei: se não, vou ficar aqui até ser outra...mas, puxa", e Alice começou a chorar , com uma súbita explosão de lágrimas.

(...)"Falando em eixos", disse a Duquesa, "cortem a cabeça dela!"

(...) "Cortem-lhe a cabeça! Cortem-lhe..."
"Besteira!", retrucou Alice, em tom alto e decidido, e a Rainha calou-se.

(...)"Que disparate!", disse Alice em voz alta. "Que idéia imbecil esta da sentença antes!"
"Dobre sua língua", gritou a Rainha, vermelha de raiva.
"Não dobro não!", respondeu Alice.
"Cortem-lhe a cabeça!", a Rainha berrou o mais alto que pôde. Ninguém se mexeu.
"Quem se importa com você?" ,disse Alice ( que acabara de voltar ao seu tamanho normal). Vocês não passam de um baralho de cartas!"
[ ver mensagens anteriores ]